MAM – Museu de Arte Moderna – Rio

Arquiteto: Affonso E. Reidy

Obra: Museu de Arte Moderna

Local: Rio de Janeiro, Brasil

Ano: 1954- 1967

3278358862_a9d9c5063211

Sobre o Museu:

Localizado no meio do jardim do Aterro do Flamengo, com um cenário privilegiado, Affonso E. Reidy pensa em um sistema que permitia a contemplação da paisagem da Baía da Guanabara sem obstáculos, ou seja, perfeita inserção no lugar.

O MAM Rio é considerado uma das mais importantes instituições culturais do Brasil.

O Museu é uma organização particular e sem fins lucrativos.

Em 1978 ocorreu um incêndio em que se perdeu 90% do acervo. Em 1982,após longos trabalhos de restauração, o museu volta à ativa.

rio_mam3

Sobre a arquitetura:

Adepto da arquitetura racionalista, destacando-se pelo emprego de estruturas vazadas e pela integração com o entorno.

Arquitetura Racionalista:

arquitetura racionalista é uma corrente surgida na Europa após a Primeira Guerra Mundial.

• Esqueleto estrutural do edifício no lugar de simetria axial

• Predileção pelas formas geométricas simples, com critérios ortogonais

• Emprego da cor e do detalhe construtivo no lugar da decoração sobreposta

• Concepção dinâmica do espaço arquitetônico

• O uso limitado de materiais como o aço, o concreto ou o vidro (novos materiais)

Sobre a estrutura:

A estrutura é em tesouras transversais de concreto bruto, dispostas lado a lado, de 10 em 10 metros. Permitindo a transparência total do edifício, também possibilitando imensos espaços internos e uma flexibilidade na organização das salas de exposição.

arq079_02_051

    imagem: vitruvius

O primeiro andar pousa no cotovelo dos braços em V dos pórticos, está livre em toda sua superfície. As lajes superiores estão suspensas por tirantes de ferro, contribuindo parcialmente para o nível inferior e resultando em um jogo de cheios e vazios (estudados cuidadosamente); podendo ser chamado de continuidade espacial. O recurso utilizado no caso do pilar em V consentiu a dupla sustentação do edifício.

3339735789_d76467fbc212

Apesar da impressão de simplicidade do edifício, esconde a complexidade das soluções técnicas, como por exemplo, a solução do apoio, equilibrando os esforços na base do pórtico gerando um momento contrario, devido ao apoio da laje arqueada do primeiro pavimento no segmento menor do pilar.

images

O conjunto final da obra resulta em um trapézio isóscele (130 metros de comprimento x 25 metros de largura), sustentado por essas tesouras transversais procedendo a horizontalidade do conjunto.

23019440

Fontes: wikipedia, monolitho blog, vitruvius

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: